Mulheres com câncer de mama em estágio inicial podem pular com segurança a radioterapia estudo

Nova pesquisa sugere que pode ser seguro para algumas mulheres com carcinoma ductal in situ (CDIS), uma forma inicial de câncer de mama, não fazer radioterapia de acompanhamento após a cirurgia.

Estudo revela que mulheres com câncer de mama inicial podem omitir tratamento de radioterapia com segurança.

Câncer de Mama

Você sabia que algumas mulheres com uma forma muito precoce de câncer de mama podem ser capazes de omitir a radioterapia após a cirurgia? Isso mesmo, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade Northwestern, certas pacientes com carcinoma ductal in situ (CDIS) podem não precisar desse tratamento complementar. Curioso? Vamos mergulhar nos detalhes.

Compreendendo o CDIS

O CDIS, ou carcinoma ductal in situ, é uma forma comum de malignidade da mama. Mas o que exatamente isso significa? Bem, ocorre quando as células que revestem os ductos de leite da mama se tornam cancerosas, embora não tenham se espalhado para o tecido mamário circundante. Embora o CDIS seja considerado um câncer pré-invasivo, ele geralmente é tratado com cirurgia, seja por meio de mastectomia ou de lumpectomia conservadora da mama, para evitar o desenvolvimento de doenças mais invasivas em outras partes da mama.

O Debate sobre a Radioterapia

Tradicionalmente, a radioterapia de acompanhamento era prescrita após a cirurgia para pacientes com CDIS. No entanto, há uma preocupação crescente de que esse tratamento possa ser desnecessário para muitas mulheres. Isso levou pesquisadores da Universidade Northwestern a investigar se algumas pacientes poderiam omitir com segurança a radioterapia.

Testes Genéticos para Tratamento Personalizado

A chave para determinar se uma paciente pode omitir a radioterapia está nos resultados de um teste genético chamado Oncotype DX Breast DCIS Score. Esse teste examina a expressão de genes relacionados ao câncer no tecido mamário com CDIS e gera uma pontuação que varia de 0 a 100. Uma pontuação mais alta indica um maior risco de recorrência do câncer.

Os Resultados do Estudo

No estudo realizado pela Universidade Northwestern, foram incluídas 171 mulheres submetidas a lumpectomia para CDIS. O tecido mamário com CDIS delas foi submetido ao teste Oncotype DX Breast DCIS Score. As pacientes com pontuação abaixo de 39 foram consideradas de risco relativamente baixo para recorrência do câncer e foram elegíveis para omitir a radioterapia. Por outro lado, aquelas com uma pontuação de 39 ou mais foram recomendadas a receber a radioterapia.

Os resultados foram promissores. Acompanhando os desfechos cinco anos após a cirurgia de cada paciente, os pesquisadores descobriram que as taxas de recorrência do câncer foram semelhantes, cerca de 5%, tanto no grupo de baixo risco que omitiu a radioterapia quanto no grupo de alto risco que realizou o tratamento. Isso sugere que omitir a radioterapia não aumentou o risco de recorrência entre as mulheres cujos testes permitiram que elas optassem por não fazer o tratamento.

Implicações do Estudo

Essas descobertas abrem uma nova abordagem para orientar as decisões de tratamento para pacientes com CDIS. Ao usar ferramentas de diagnóstico personalizadas como o teste Oncotype DX Breast DCIS Score, os médicos podem prever melhor o risco de recorrência e planejar o tratamento de acordo. Isso não apenas evita tratamentos excessivos para algumas pacientes, mas também traz tranquilidade para aquelas que podem omitir a radioterapia.

Respondendo às Suas Preocupações: Perguntas e Respostas

P: Todas as mulheres com CDIS devem considerar omitir a radioterapia?

R: Nem sempre. A decisão de omitir a radioterapia deve ser baseada nos resultados do teste Oncotype DX Breast DCIS Score. Pacientes com pontuação abaixo de 39 são consideradas de baixo risco e podem omitir a radioterapia com segurança, enquanto aquelas com pontuação mais alta ainda são recomendadas a receber o tratamento.

P: Quais são os riscos de omitir a radioterapia?

R: O estudo constatou que omitir a radioterapia no grupo de baixo risco não aumentou o risco de recorrência do câncer durante o período de acompanhamento de cinco anos. No entanto, é importante discutir os possíveis riscos e benefícios com seu médico antes de tomar uma decisão.

P: Como posso descobrir se posso omitir a radioterapia?

R: Fale com seu médico sobre a possibilidade de fazer o teste Oncotype DX Breast DCIS Score. Isso ajudará a determinar seu risco de recorrência do câncer e guiará o processo de tomada de decisão em relação à radioterapia.

P: Quais são os tratamentos alternativos para o CDIS?

R: Além da cirurgia e radioterapia, outros tratamentos para o CDIS podem incluir terapia hormonal, terapia direcionada ou participação em ensaios clínicos. O melhor plano de tratamento para você dependerá de vários fatores, incluindo as características do seu CDIS específico.

Conclusão

Este estudo inovador da Universidade Northwestern sugere que algumas mulheres com câncer de mama em estágio inicial podem ser capazes de pular a radioterapia após a cirurgia. Ao usar ferramentas de diagnóstico personalizadas, como o teste Oncotype DX Breast DCIS Score, os médicos podem prever melhor o risco de recorrência e fornecer planos de tratamento adaptados. No entanto, é importante consultar seu provedor de cuidados de saúde e realizar os testes adequados antes de tomar qualquer decisão de tratamento.

Lembre-se de que a situação de cada indivíduo pode variar e o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Mantenha-se informado, faça perguntas e trabalhe em estreita colaboração com sua equipe médica para encontrar a melhor solução para suas necessidades específicas.

Referências

  1. Mulheres com Câncer de Mama em Estágio Muito Inicial Podem Pular com Segurança a Radioterapia: Estudo
  2. DCIS e Seu Tratamento – Sociedade Americana do Câncer