A Ciência por Trás da Doença de Crohn Uma Jornada Pessoal

A pesquisa pioneira de um especialista mundialmente reconhecido sobre a doença de Crohn beneficiou milhões - incluindo o próprio pesquisador.

“`html

O Cientista Curando a si Mesmo e aos Outros

R. Balfour Sartor

Por R. Balfour Sartor, MD., conforme contado a Stacia Friedman

Sabe o que é pior do que ser mal diagnosticado? Ser mal diagnosticado por 10 anos! Acredite se quiser, foi isso que aconteceu comigo com a doença de Crohn. As doenças inflamatórias intestinais, que incluem a doença de Crohn e a colite ulcerosa, são frequentemente confundidas com outros problemas gastrointestinais. É hora de espalhar conhecimento e trazer luz a essa condição complexa.

🏥 Diagnóstico e Maus Conselhos

No meu caso, a jornada até o diagnóstico foi longe de ser fácil. Foram 10 anos angustiantes de diagnósticos errados e confusão antes que finalmente recebesse o diagnóstico correto de doença de Crohn. Consegue imaginar? Estava no meu último ano de estudos de pré-medicina, já aceito na faculdade de medicina, quando a verdade me atingiu como uma tonelada de tijolos. Foi um revés, sem dúvida, mas não estava disposto a deixar isso me impedir de seguir meus sonhos.

As Muitas Faces da Doença de Crohn

📚 Querendo Compreender

Durante minha hospitalização de 6 semanas por uma grave crise de Crohn, refleti sobre minha escolha de carreira. Embora inicialmente estivesse interessado em cirurgia GI, o pensamento de realizar procedimentos cirúrgicos demorados me fez hesitar. Foi quando percebi que a gastroenterologia era o caminho para mim. Fiquei frustrado com as opções de tratamento limitadas disponíveis para a doença de Crohn — esteroides e cirurgia simplesmente não eram suficientes. Ansiava por uma compreensão mais profunda das causas da doença.

Na época, a teoria predominante era que a doença de Crohn era um processo autoimune. No entanto, tive a intuição de que as bactérias intestinais poderiam desempenhar um papel significativo em estimular a resposta imune. Queria investigar mais a fundo e explorar quais bactérias específicas estavam envolvidas. E assim começou minha jornada de mais de 40 anos de pesquisa sobre doença de Crohn e colite ulcerosa.

💡 O Papel das Bactérias Intestinais

Minha pesquisa tem se concentrado em identificar os principais ativadores da resposta imune agressiva na doença de Crohn e colite ulcerosa. Em um indivíduo saudável, as bactérias agressivas no intestino são equilibradas por bactérias protetoras que impedem a inflamação. No entanto, esse equilíbrio é interrompido em pacientes com Crohn e IBD.

Portanto, a pergunta de um milhão de dólares é: como podemos manipular o sistema para diminuir a presença de bactérias agressivas e estimular o crescimento de bactérias intestinais benéficas? Quais sinais bacterianos são responsáveis por iniciar a inflamação e quais bactérias oferecem proteção? Estas são as questões que me mantêm acordado à noite, eu e minha equipe.

💊 Genética, Antibióticos e Dieta

A genética sem dúvida desempenha um papel no desenvolvimento da doença de Crohn e colite ulcerosa. No entanto, essas condições não são predestinadas. Na verdade, se um gêmeo idêntico tem Crohn, o outro gêmeo tem apenas 40% de chance de desenvolver a doença. Isso deixa uma chance de 60% de não a desenvolver. Portanto, está claro que outros fatores entram em jogo.

Um desses fatores é o uso de antibióticos. A exposição frequente a antibióticos, principalmente durante a infância, perturba o delicado equilíbrio das bactérias intestinais. As boas bactérias são eliminadas, enquanto as bactérias prejudiciais ganham vantagem.

E aqui está a última fronteira: a dieta. Atualmente estou pesquisando o impacto da dieta nos perfis e funções bacterianas. A dieta típica ocidental, rica em conservantes, proteína animal, compostos de enxofre elevados e alimentos processados, tem se mostrado piorar os sintomas. Por outro lado, uma dieta rica em alimentos frescos, ricos em fibras e com baixo teor de gordura tem sido encontrada para ajudar. É por isso que pessoalmente evito carne vermelha e priorizo fibras e frutas em minhas refeições.

🌟 Compartilhando Meu Diagnóstico

Lembro-me quando fui diagnosticado pela primeira vez com doença de Crohn; queria manter segredo. No entanto, quando entrei na Universidade da Carolina do Norte, decidi compartilhar minha condição com meus colegas e pacientes. Como médico com Crohn, tenho uma perspectiva única que me permite entender e empatizar com meus pacientes em um nível mais profundo. Sempre me pergunto: “Seguiria o conselho que estou prestes a dar?” antes de fazer quaisquer recomendações de tratamento.

“““html

Tendo passado pelos altos e baixos de viver com a doença de Crohn, consigo me relacionar com pacientes recém-diagnosticados que se sentem como se seu mundo estivesse desmoronando. Mas aqui está a questão – o tratamento para a doença de Crohn e colite ulcerativa avançou muito. Fizemos progressos significativos na compreensão do mecanismo da doença e nas respostas imunes. Uma série de novas terapias está disponível, e as chances de recuperação completa são bastante altas.

O Dr. R. Balfour Sartor é o professor distinguido Lorimer W. Midget de medicina, microbiologia e imunologia da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill. Ele também é o co-diretor do Centro de Biologia e Doenças Gastrointestinais da UNC.

🤔 P&R: Respondendo às suas Preocupações

P: Existem remédios naturais que poderiam ajudar a controlar os sintomas da doença de Crohn? R: Embora a dieta desempenhe um papel crucial no controle dos sintomas da doença de Crohn, é improvável que os remédios naturais sozinhos forneçam alívio completo. No entanto, algumas pessoas descobrem que adotar uma dieta anti-inflamatória, rica em frutas, legumes e grãos integrais, pode ajudar a aliviar os sintomas. É essencial trabalhar em estreita colaboração com seu provedor de saúde para desenvolver um plano de tratamento abrangente.

P: Como o estresse pode afetar os sintomas da doença de Crohn? R: O estresse é conhecido por desencadear crises em pessoas com doença de Crohn. Embora seja impossível eliminar completamente o estresse de nossas vidas, encontrar mecanismos saudáveis de enfrentamento, como exercício, meditação e terapia, pode reduzir significativamente seu impacto nos sintomas. Além disso, incorporar técnicas de gerenciamento do estresse em sua rotina diária pode ajudar a melhorar seu bem-estar geral.

P: Existe cura para a doença de Crohn? R: Atualmente, não há cura conhecida para a doença de Crohn. No entanto, os avanços na pesquisa médica levaram ao desenvolvimento de terapias direcionadas que podem gerenciar efetivamente os sintomas e melhorar a qualidade de vida. É essencial continuar buscando cuidados médicos regulares e se manter informado sobre as últimas opções de tratamento.

📚 Lista de Referências

  1. As Últimas Pesquisas sobre a Doença de Crohn
  2. O Buscador: Como Procurar por Remédios Holísticos ‘Estranhos’ Pode Fortalecê-lo
  3. O Romântico: Uma Ressecção Intestinal Não é um Obstáculo para o Amor
R. Balfour Sartor

🙌 Junte-se à Conversa!

Viver com a doença de Crohn não é moleza, mas com o apoio certo e informações, pode ser administrável. Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares para aumentar a conscientização sobre esta condição. Se você tiver alguma pergunta ou experiência pessoal que gostaria de compartilhar, deixe um comentário abaixo. Vamos nos apoiar mutuamente nesta jornada!

Este artigo foi originalmente publicado em 3Health

“`