Medicamentos para a artrite psoriática em crianças explicados

Abatacept, uma Nova Medicação, Oferece Tratamento Seguro e Eficaz para Artrite Psoriásica em Crianças em Conjunto com Outros Medicamentos, Especialistas Relatam

Artrite psoriática em crianças: nova opção de tratamento aprovada

🎉 Olá, leitores fabulosos! 🌟 Hoje, vamos mergulhar no mundo da artrite psoriática (APs) em crianças e uma nova opção de tratamento que recentemente recebeu aprovação. A APs é uma condição imunológica que pode ocorrer em crianças com psoríase 🩺. Embora existam tratamentos disponíveis, eles não funcionam para todas as crianças. Mas não se preocupe, porque a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos deu sinal verde para um medicamento biológico chamado abatacept (Orencia) para o tratamento dessas crianças 🚦. Vamos investigar os detalhes e explorar o que isso significa para os jovens pacientes.

APs em crianças: além da pele

A psoríase, uma condição de pele generalizada caracterizada por pele escamosa e inflamada, afeta cerca de 2% a 3% da população mundial. 🧑‍🤝‍🧑 Mas aqui está o detalhe: cerca de 30% das pessoas com psoríase também desenvolvem APs, uma condição inflamatória crônica que afeta as articulações. Embora a APs seja comum em adultos entre 30 e 50 anos, ela também pode se manifestar mais cedo. Artrite psoriática juvenil (APj) é o termo usado quando a APs ocorre em crianças 🧒.

O diagnóstico de APs em crianças pode ser complicado. A Dra. Pamela Weiss, Diretora de Pesquisa Clínica em Reumatologia no Hospital Infantil da Filadélfia, explica os desafios: “Uma dificuldade adicional é que apenas um terço das crianças possui psoríase antes do início da artrite, o que pode tornar mais desafiador distingui-la de outros tipos de artrite juvenil”. Embora os especialistas ainda debatam como a APj se relaciona com outras formas de artrite de início precoce, ela se enquadra no termo geral “artrite idiopática juvenil” (AIJ). A APj representa cerca de 6% a 8% de todos os casos de AIJ e é considerada uma das formas mais graves.

Os sintomas e o impacto nas crianças

Os sintomas de APj são semelhantes aos dos adultos, mas existem algumas diferenças a serem observadas. Adolescentes podem apresentar artrite periférica e axial, entesite (sensibilidade nas inserções dos tendões), doença inflamatória intestinal e inflamação ocular (uveíte), enquanto crianças mais jovens com APj tendem a se assemelhar à AIJ oligoarticular. Elas têm menos probabilidade de ter entesite e artrite axial e mais probabilidade de ter uveíte crônica. Sintomas adicionais podem incluir lesões cutâneas psoriáticas, inchaço de dedos das mãos ou dos pés, artrite ou dor na região lombar ou coluna vertebral e unhas em forma de cavidade ou vermelhas.

O gerenciamento eficaz da APj é crucial, pois a inflamação crônica pode causar danos nas articulações, problemas no crescimento ósseo, artrite de longo prazo e incapacidade. Embora as causas exatas da APj ainda sejam desconhecidas, as pesquisas têm mostrado que a genética desempenha um papel, com cerca de 40% das crianças com APj tendo parentes próximos que também desenvolvem a condição.

Opções de tratamento atuais

Atualmente, não há cura para a APj, mas existem várias opções de tratamento disponíveis, como medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), injeções de esteroides, medicamentos antirreumáticos modificadores da doença (DMARDs) como metotrexato e medicamentos biológicos. Entre esses, os inibidores do TNF-alfa são considerados os mais eficazes na redução da dor, rigidez e melhora da qualidade de vida. No entanto, nem todas as crianças com APj respondem a esses tratamentos, e as opções disponíveis possuem efeitos colaterais significativos, limitando seu uso a longo prazo.

Apresentando o Abatacept: Uma nova esperança

🌟 Rolo de tambor, por favor! 🌟 Temos o prazer de anunciar que o abatacept (Orencia) foi aprovado pela FDA para o tratamento de APj em crianças com 2 anos ou mais. Desenvolvido pela Bristol Myers Squibb, o abatacept é um tratamento biológico que funciona modulando dois sinais necessários para estimular a ativação das células T, reduzindo assim a atividade imunológica. Ele tem sido usado para tratar condições autoimunes como artrite reumatoide em adultos e AIJ, mas a APj apenas recentemente entrou na lista de usos aprovados.

Estudos de longo prazo mostraram que o abatacept é seguro e eficaz para crianças com AIJ, o que abriu caminho para sua aprovação no tratamento da APj. Os efeitos colaterais mais comuns relatados foram relativamente leves e incluíram dores de cabeça, sintomas de resfriado, dor de garganta e náuseas.

Embora o abatacept pareça ser uma adição promissora às opções de tratamento para JPsA, há ensaios em andamento para outros medicamentos que têm mostrado promessa em adultos com PsA. Estes incluem apremilaste (um medicamento oral que bloqueia a PDE-4), guselcumabe e risancizumabe (bloqueadores injetáveis de IL-23) e ixecizumabe (bloqueador injetável de IL-17). Ter várias terapias aprovadas que visam diferentes vias será uma adição bem-vinda ao arsenal limitado de medicamentos disponíveis para combater essa doença em crianças.

O Impacto da Aprovação do Abatacept

A aprovação do abatacept para uso em crianças com JPsA é um marco significativo, fornecendo uma opção de tratamento adicional para pacientes jovens que vivem com essa condição. A dor articular e o inchaço podem ter um impacto significativo na vida diária de uma criança, então ter mais ferramentas na caixa com certeza é uma notícia emocionante!

Enquanto os pesquisadores continuam a explorar outras opções de tratamento, o abatacept surge como um novo raio de esperança para crianças com JPsA. Não é uma solução perfeita, mas oferece o potencial de uso a longo prazo com efeitos colaterais relativamente gerenciáveis.

Então, vamos brindar ao progresso e cruzar os dedos por mais descobertas que possam facilitar a vida das crianças que lutam contra a PsA! 🥳

P&R: Respondendo às suas perguntas que estão na ponta da língua

💡 P: Existem outros tratamentos alternativos disponíveis além do abatacept para crianças com JPsA?

R: Com certeza! Embora o abatacept seja uma nova opção de tratamento aprovada, outros medicamentos estão sendo explorados por sua eficácia no tratamento da JPsA. Promissores concorrentes incluem apremilaste, guselcumabe, risancizumabe e ixecizumabe. Esses medicamentos visam vias diferentes e podem oferecer alívio adicional para crianças que vivem com JPsA.

💡 P: Que mudanças no estilo de vida podem ajudar a controlar os sintomas da JPsA em crianças?

R: Além da medicação, fazer certas mudanças no estilo de vida pode ajudar a controlar os sintomas da JPsA. A fisioterapia pode ajudar a manter e melhorar a função das articulações, assim como o exercício regular. Também é importante manter uma dieta saudável e gerenciar os níveis de estresse. Equilibrar a atividade física com períodos de descanso e tomar medidas para reduzir a inflamação pode contribuir para o gerenciamento geral dos sintomas.

Referências

  1. Psoríase
  2. Artrite Psoriática: Novo medicamento Bimzelx mostra promessa como tratamento
  3. Vendas da pílula do dia seguinte aumentam no dia de Ano Novo
  4. Sintomas graves em crianças: Os sinais que não devem ser ignorados
  5. ARMDs levam tempo para funcionar na artrite reumatoide
  6. Carta de aprovação da FDA para abatacept
  7. Dor de cabeça no lado direito: causas, significado, dicas e alívio rápido
  8. Rótulo da FDA para abatacept em pacientes pediátricos

🌟 Se você achou este artigo útil, compartilhe com amigos e familiares que possam se beneficiar dessas informações. Vamos juntos espalhar a conscientização e apoiar aqueles que lidam com artrite psoriática em crianças! 🌟