Seguradoras afirmam que os problemas com a vacina contra a COVID foram corrigidos

Problems with the COVID vaccine have been fixed, insurers say.

28 de setembro de 2023 – Questões técnicas que resultaram na recusa de cobertura de seguros para as vacinas atualizadas contra a COVID-19 foram “largamente, se não completamente, resolvidas”, informaram as maiores seguradoras de saúde do país às autoridades federais na quarta-feira.

“Você tem nosso compromisso de que as seguradoras de saúde estão cobrindo integralmente as novas doses da vacina contra a COVID-19, conforme exigido, sem compartilhamento de custos quando os consumidores as acessam por meio de um provedor de rede ou as recebem de um provedor fora da rede quando as opções dentro da rede não estão disponíveis”, disse um grupo da indústria em uma carta ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Em 12 de setembro, os CDC recomendaram a nova vacina para todas as pessoas com 6 meses de idade ou mais, e os fabricantes afirmaram que os suprimentos das vacinas estavam prontos. Mas houve relatos generalizados de que as doses não estavam chegando às farmácias, e as seguradoras às vezes negaram a cobertura, apesar de um requisito federal de que elas paguem o custo total. Antes desta rodada de vacinas, todas as doses eram pagas pelo governo, embora as pessoas sem seguro ainda possam obter uma vacina gratuita por meio de um programa federal.

As autoridades federais se reuniram virtualmente na quarta-feira com executivos de companhias de seguros para discutir o que o HHS chamou de “recentes questões técnicas” em relação ao acesso às vacinas. As seguradoras representadas na ligação incluíram Blue Cross Blue Shield, CVS Health, Humana, Cigna, Anthem, Kaiser e United Healthcare.

Até agora, 2 milhões de pessoas nos EUA receberam a nova dose de reforço neste outono, de acordo com o HHS.

Após um aumento nos casos de COVID, hospitalizações e mortes ao longo do verão, a maioria dos indicadores está diminuindo. Na semana que terminou em 16 de setembro, 12,5% de todos os testes relatados foram positivos, a COVID-19 representou 1,9% das visitas ao departamento de emergência e houve 19.674 internações hospitalares devido a casos graves da doença, de acordo com o CDC. As mortes por COVID têm aumentado e representaram 2,7% de todas as mortes nos EUA na semana que terminou em 16 de setembro, com grandes aumentos relatados em Kentucky, West Virginia, Mississippi e Geórgia.