Quantos passos diários para prolongar sua vida? Menos do que você imagina.

Poucos passos diários para viver mais.

Se você é uma das milhões de pessoas que está determinada a alcançar pelo menos 10.000 passos por dia, continue lendo.

Um novo estudo descobriu que a saúde do coração começa a melhorar com apenas 2.300 passos por dia. A pesquisa também indica que o risco de morte por qualquer doença começa a diminuir com apenas cerca de 4.000 passos diários.

No entanto, quanto mais passos diários você der, maior será o benefício, também descobriu o estudo.

“Dez mil passos por dia ainda é uma maneira correta de pensar se levarmos em conta a redução mais pronunciada [de morte]”, disse o autor do estudo, Dr. Maciej Banach. Ele é professor de cardiologia na Universidade Médica de Lodz, na Polônia, e professor adjunto no Centro de Prevenção de Doenças Cardiovasculares da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

Dez mil passos equivalem a cerca de 4-5 milhas de caminhada, dizem os especialistas.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram 17 estudos anteriores envolvendo cerca de 227.000 pessoas. Eles foram acompanhados por aproximadamente sete anos.

Adultos com mais de 60 anos viram o risco de morte reduzido em 42% se fizeram entre 6.000 e 10.000 passos por dia. Entre os adultos mais jovens, houve uma redução de 49% quando eles caminharam entre 7.000 e 13.000 passos por dia, mostrou o estudo.

“Cada aumento de 1.000 passos por dia está associado a uma redução de 15% no risco de morte por qualquer causa, e cada aumento de 500 passos por dia está associado a uma redução de 7% na morte por doenças cardiovasculares”, disse Banach.

E não há limite superior para o número de passos. Os pesquisadores ainda não encontraram um limite máximo de passos.

O estudo não foi projetado para dizer como, ou se, caminhar reduz o risco de morte, apenas que há uma associação. Pesquisas mostraram que levar um estilo de vida sedentário pode encurtar anos de vida. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, 3,2 milhões de mortes por ano estão relacionadas à inatividade física.

Amanda Paluch é professora assistente de cinesiologia no Instituto de Ciências da Vida Aplicadas da Universidade de Massachusetts-Amherst.

“Este estudo é consistente e reitera o que já vimos anteriormente”, disse Paluch, que não estava envolvida no estudo.

A conclusão? “Mova-se mais e fique menos sentado”, aconselhou ela.

Os benefícios para a saúde de caminhar começam em níveis muito mais baixos do que 10.000 passos por dia, disse Paluch. “Não é uma situação de tudo ou nada.”

Não se sinta sobrecarregado se você não conseguir dar 10.000 passos, acrescentou ela. “Comece de onde você está. Há benefício em fazer pequenos aumentos incrementais nos passos por dia”, disse Paluch.

Se você está começando com 3.000, aumente para 4.000, depois para 5.000, ela recomendou. “Essas melhorias graduais podem ser significativas para sua saúde, e para aquelas pessoas que já estão em níveis mais altos de passos por dia, continuem assim.”

Os resultados aparecem na edição de 9 de agosto do European Journal of Preventive Cardiology.

FONTES: Maciej Banach, MD, PhD, professor, cardiologia, Universidade Médica de Lodz, Polônia, e professor adjunto, Ciccarone Center for the Prevention of Cardiovascular Disease, Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, Baltimore; Amanda Paluch, PhD, professora assistente, Departamento de Cinesiologia, Instituto de Ciências da Vida Aplicadas, Universidade de Massachusetts-Amherst; European Journal of Preventive Cardiology, 9 de agosto de 2023

GALERIA DE FOTOS