O que é ruído alimentar e como você pode silenciá-lo?

O que é ruído alimentar e como silenciá-lo?

Nikki Levy abriu o aplicativo DoorDash em seu telefone, desejando comida vietnamita. Então ela se lembrou do peru com 95% de gordura livre que tinha descongelado: ela poderia cozinhar em vez de pedir comida. Ela fechou o aplicativo e depois o abriu novamente, repetidamente. “Eu posso ficar indo e voltando assim por uma hora”, diz ela.

Levy, uma executiva de conteúdo e coach de histórias baseada em Los Angeles, recentemente voltou a fazer parte da WW (anteriormente chamada de Weight Watchers). Ela havia perdido 35 quilos na WW antes de seu casamento em 2019. Alguns desses quilos voltaram e pensamentos intrusivos sobre comida dificultaram a aderência ao plano.

Isso é o que às vezes é chamado de “ruído alimentar” interno. Não tem uma definição oficial. Levy chama isso de uma “enxurrada” de pensamentos que a empurram em direção à comida que ela deseja. “Eu vou comer a coisa e ficar revitalizada e tudo vai ficar melhor”, diz Levy. “Mas na verdade, nunca é”.

Há maneiras de diminuir o volume do ruído alimentar, com ou sem o mais novo tipo de medicação para obesidade.

Quando o Ruído Alimentar Se Torna um Problema

Todos pensam em comida em algum nível. Todos nós precisamos de calorias e nutrientes para sobreviver. Além disso, a comida faz parte de todas as culturas e é fonte de prazer.

Mas os pensamentos sobre comida podem se tornar excessivos e prejudiciais.

“Isso frequentemente surge com os pacientes”, diz Steven Batash, MD, fundador do Batash Endoscopic Weight Loss Center em Queens, NY. “Algumas pessoas se tornam quase disfuncionais porque tudo o que pensam o dia todo é em comida”.

Um problema-chave é como respondemos ao ruído alimentar, diz David Creel, PhD, psicólogo, nutricionista registrado e fisiologista do exercício no Cleveland Clinic. “Certamente pode ser um problema”, diz Creel, se isso levar a uma alimentação não saudável e agravar a obesidade ou outras condições médicas.

Por que a Força de Vontade Não Resolve

Muitas coisas afetam o peso, incluindo influências genéticas, sociais, culturais, econômicas e ambientais. A psicologia também faz parte disso.

Pensamentos sobre comida podem ser desencadeados por estímulos internos (incluindo hormônios envolvidos na fome e apetite) e externos (como sentir o cheiro de biscoitos recém-assados ou ver um anúncio de fast-food). Ambos podem contribuir para o ruído alimentar, diz Creel.

Se o ruído alimentar é avassalador e seu índice de massa corporal (IMC) está na faixa de obesidade, a mais nova medicação para obesidade pode ser uma opção. Esses medicamentos, chamados agonistas do peptídeo 1 semelhante ao glucagon (GLP-1), incluem o semaglutide.

O semaglutide foi desenvolvido para tratar diabetes tipo 2. Ele ainda faz isso sob o nome comercial Ozempic. É também o ingrediente ativo na medicação para obesidade Wegovy.

Agonistas do GLP-1, como o semaglutide, retardam a saída de alimentos do estômago. Isso faz você se sentir saciado por mais tempo.

Esses medicamentos também visam áreas do cérebro envolvidas no apetite. Em um pequeno estudo, pessoas com obesidade que tomaram semaglutide comeram menos e suas vontades de açúcar e lanches ricos em gordura diminuíram.

Ainda não está claro se isso acontece com todos que tomam esses medicamentos. Mas em sua clínica, Batash diz: “Os pacientes me dizem: ‘Eu não penso mais em comida o tempo todo'”.

Ele descreve várias teorias sobre como isso pode acontecer. Esses medicamentos podem estimular o hipotálamo, uma área do cérebro que desempenha um papel no controle da fome e saciedade. Eles também podem bloquear a liberação do neurotransmissor dopamina. Isso torna a comida menos recompensadora.

O efeito é temporário, Batash adverte. Pare de tomar a medicação e é provável que o ruído alimentar retorne.

Creel concorda que esses medicamentos podem ajudar. Mas ele diz que eles são melhores usados com outras abordagens.

“Eu não acredito que a medicação resolverá as coisas permanentemente para a maioria das pessoas a longo prazo, então ser capaz de mudar seu relacionamento com a comida é muito importante”, diz Creel. “A medicação não faz você se exercitar, controlar o que você coloca no carrinho de compras ou ditar o que você faz quando está entediado”.

Outras Maneiras de Reduzir o Ruído Alimentar

Se você deseja reduzir o ruído alimentar sem medicamentos para obesidade – como se você não deve tomá-los, seu seguro não os cobre ou você está preocupado com os efeitos colaterais – você tem opções. Assim como a medicação, nenhuma delas sozinha é uma solução perfeita, mas podem ajudar, dizem Creel e Batash.

Trabalhe no estresse e no sono. Quando você está ansioso, irritado ou não descansado, você pode pensar mais sobre comida porque comer temporariamente faz você se sentir melhor, diz Batash.

Encontre maneiras positivas de lidar com o estresse e a ansiedade, como exercícios de respiração profunda, passar tempo na natureza ou com entes queridos, ou praticar atividade física. Dependendo da sua situação, aconselhamento e tratamento de saúde mental também podem ajudar.

Coma com mais frequência. Se você ficar com muita fome ou se privar de comida, isso pode estimular a obsessão por comida – e desencadear excessos quando você finalmente se permite comer, diz Batash. Seu conselho: mantenha-se hidratado, tente comer de três a quatro vezes por dia e consuma proteínas e fibras suficientes para ajudar a se sentir satisfeito.

Ajuste seu ambiente. Você não pode controlar tudo ao seu redor. Portanto, concentre-se no que você pode mudar. Por exemplo, se sorvete é um alimento que você gostaria de limitar, não o coloque em destaque no freezer onde você o vê o tempo todo, diz Creel. Procure por padrões. Observe quando a obsessão por comida é mais intensa e problemática. Se for enquanto assiste a programas de TV, você poderia assistir em uma parte da casa que não fica perto da cozinha? “O objetivo é quebrar o hábito para que você não provoque a mesma fome e desejo de comer”, diz Creel.

Coma com mais consciência. Desacelere e evite distrações. Envolva todos os seus sentidos e mastigue completamente. Saboreie cada mordida e pare de comer quando se sentir satisfeito.

Mais Cobertura sobre Obesidade

  • Solução para a Obesidade: Novos Medicamentos Não Podem Mudar o Quanto Sabemos de Pouco
  • Tratamento da Obesidade: Será que Novos Medicamentos Acabarão com a Crise?
  • “Enxergando” a Obesidade: Como Médicos e Pacientes Podem Melhorar