O Abuso de Substâncias Aumenta Muito as Chances de Ataque Cardíaco e Acidente Vascular Cerebral Durante a Gravidez

O abuso de substâncias aumenta as chances de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral durante a gravidez.

O uso de substâncias e a gravidez podem ser uma combinação perigosa.

Novas pesquisas descobriram que mulheres grávidas com histórico de abuso de substâncias têm um risco drasticamente aumentado de morte por ataque cardíaco e derrame durante o parto, em comparação com mulheres sem histórico de drogas.

“Essa pesquisa reveladora mostra que o uso de substâncias durante a gravidez duplicou os eventos cardiovasculares e a mortalidade materna durante o parto”, disse a autora sênior Dra. Martha Gulati, diretora associada do Barbra Streisand Women’s Heart Center no Smidt Heart Institute, do Cedars-Sinai em Los Angeles.

“O abuso de substâncias também dobrou o risco de insuficiência cardíaca aguda”, disse ela em um comunicado de imprensa do instituto.

Os pesquisadores estudaram uma variedade de substâncias, incluindo cocaína, opioides, álcool, anfetaminas/metanfetaminas e cannabis. Cada uma apresentava riscos diferentes.

As anfetaminas/metanfetaminas tiveram a maior associação com insuficiência cardíaca aguda. Essas drogas foram associadas a um risco nove vezes maior de insuficiência cardíaca aguda; risco 7,5 vezes maior de ataque cardíaco agudo; risco sete vezes maior de parada cardíaca e triplo o risco de morte materna.

As anfetaminas e metanfetaminas são conhecidas por aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial, além de causar alterações estruturais e elétricas no coração.

A cocaína teve a associação mais forte com derrame. Também foi associada a arritmias, que são ritmos cardíacos anormais.

O uso de opioides teve a associação mais forte com infecção das válvulas cardíacas, chamada endocardite. Essas drogas costumam ser injetadas na corrente sanguínea.

O uso de álcool foi associado ao maior risco de arritmias.

Embora a cannabis não tenha sido associada à morte materna, foi associada ao dobro do risco de ataque cardíaco.

“Apesar da legalização generalizada da cannabis em todo o país, muitas pessoas não estão familiarizadas com os riscos que ela pode representar durante a gravidez”, disse Gulati. “A cannabis causa morte das células cardíacas e também pode levar a eventos cardiovasculares graves.”

Os dados do estudo foram obtidos de um banco de dados nacional com mais de 60 milhões de internações para partos de 2004 a 2018. O uso de substâncias complicou mais de 955 mil desses partos, com mulheres apresentando ataque cardíaco, derrame, arritmia, endocardite, cardiomiopatia aguda, insuficiência cardíaca e parada cardíaca, revelou o estudo.

“Este estudo destaca a necessidade de cuidados médicos adicionais para mulheres grávidas com uso de substâncias”, disse a Dra. Christine Albert, chefe de cardiologia do Smidt Heart Institute.

O cuidado pré-natal para mulheres com histórico de uso de substâncias deve incluir especialistas em gravidez de alto risco e cardiologistas que possam ajudar a identificar e minimizar resultados adversos, acrescentou ela.

“Para o bem-estar das mulheres grávidas e de seus filhos, o abuso de substâncias precisa ser considerado um fator de risco independente para eventos cardiovasculares na gravidez”, disse Albert no comunicado de imprensa.

Os resultados do estudo foram publicados na edição de outubro do Journal of the American College of Cardiology: Advances.

Mais informações

O National Institutes of Health dos EUA tem mais informações sobre saúde cardíaca e gravidez.

FONTE: Cedars-Sinai, comunicado de imprensa, 18 de setembro de 2023

APRESENTAÇÃO DE SLIDES