Vivendo com Depressão Minha Jornada em Direção à Aceitação e Cura

Descubra a inspiradora jornada de alguém que triunfa sobre os desafios do transtorno depressivo maior, utilizando sua experiência para se tornar um terapeuta de sucesso.

Vivendo com Transtorno Depressivo Maior

Por Elena Sledge, conforme narrado a Kara Mayer Robinson 😄🌈

Introdução: Uma Montanha-Russa de Emoções

Viver com depressão não é moleza, acredite em mim. Estou nessa jornada louca há quase 12 anos agora e, deixe-me dizer, tem sido uma jornada de altos, baixos e tudo mais. Desde o momento em que descobri que tinha um transtorno depressivo maior aos tenros 19 anos, minha vida tomou um rumo que eu nunca esperava. Mas hey, dizem que a vida está cheia de surpresas, não é mesmo? 😊

Questionando Meu Diagnóstico: Por que Eu?

No começo, tive dificuldade em aceitar o fato de ter depressão. Quer dizer, com certeza, tive momentos difíceis, mas nada que parecesse importante o suficiente para justificar um diagnóstico como esse. Era como se tivessem me entregado uma festa surpresa à qual eu nunca quis ir. 🎉

Mas, à medida que embarquei em minha jornada de autoconhecimento, a terapia se tornou minha fiel companheira. Meu terapeuta me ensinou uma lição valiosa que ficará comigo para sempre: “Você tem depressão porque tem”. Foi uma afirmação simples, mas profunda, que me fez perceber que não precisava justificar ou pedir desculpas pelo meu diagnóstico. Fazia parte de quem eu sou, gostasse eu ou não. E essa aceitação foi o primeiro passo em direção à cura. 💪

Gerenciando Sintomas: Uma Abordagem Multifacetada

Ao longo dos anos, experimentei vários métodos para lidar com minha depressão. Uma das ferramentas mais eficazes no meu arsenal foi a terapia. As sessões regulares com um terapeuta me ajudaram a navegar pela montanha-russa de emoções que é a depressão. É como ter um detetive particular que me ajuda a desvendar os mistérios da minha mente. 🕵️‍♀️

Além da terapia, também experimentei diferentes medicamentos. Comecei com um ISRS, que inicialmente funcionou maravilhosamente bem para mim. Mas, com o passar do tempo, seus efeitos pareceram diminuir. Experimentei outros medicamentos, como ISRSs e IRSNs, encontrando alívio quando mais precisava. Acredito firmemente no poder da medicação para a saúde mental, mas atualmente, não faz parte da minha rotina. No entanto, não hesitarei em explorar essa opção se necessário. Trata-se de encontrar o que funciona melhor para você! 💊

Mas lidar com a depressão não se resume apenas à terapia e medicação. É uma abordagem holística que engloba várias mudanças de estilo de vida. Dois anos atrás, decidi me exercitar e comecei a trabalhar com um personal trainer. Deixe-me dizer, a sensação de endorfina liberada pelo exercício é transformadora. Além disso, meu treinador também se tornou meu torcedor pessoal, o que é sempre um ponto positivo. Vamos lá, time! 🎉

Um estilo de vida saudável anda de mãos dadas com o bem-estar mental, então eu me certifico de priorizar o sono, limitar o consumo de álcool, manter uma rotina e nutrir minha saúde espiritual. Trata-se de encontrar aquele equilíbrio maravilhoso que mantém você se sentindo no seu melhor. 🧘‍♀️💤🥗

Amigos e Família: Uma Rede de Amor e Compreensão

Sou incrivelmente sortuda por ter um sistema de apoio sólido como uma rocha. Meu marido é meu astro de rock, e ele compreende o Lado Sombrio da Lua (não, não o álbum do Pink Floyd, mas o metafórico). Muitos dos meus amigos e familiares também enfrentaram suas próprias jornadas de saúde mental, então eles entendem. E deixe-me dizer, ter alguém que ouve, se importa e conversa sobre tudo pode fazer toda a diferença quando você está se sentindo pra baixo. Amor e conexão são os ingredientes secretos para o crescimento e a cura. ❤️✨

Gerenciando Gatilhos: Navegando pelo Campo Minado

Embora eu não esteja passando consistentemente por episódios depressivos no momento, tenho plena consciência de como é fácil escorregar para aquele abismo escuro. É como se meu cérebro tivesse um Ph.D. em Depressologia. Impressionante, não é? 😅

Certos gatilhos podem me fazer entrar em uma espiral, especialmente quando se trata de me sentir um fracasso em relação ao meu trabalho. Como conselheira de saúde mental, a pressão de ter minha própria clínica e ajudar os outros pode ser esmagadora às vezes. Nestes momentos, preciso vestir minha capa de super-heroína e gerenciar meus pensamentos como uma profissional. Eu os escrevo ou os discuto com alguém que entende. E, mais importante, substituo aqueles pensamentos autodepreciativos por pensamentos compassivos como “Sou suficiente”, “Estou tentando” ou “Isso também vai passar”. Trata-se de abraçar o amor próprio e silenciar aquela voz sorrateira de dúvida. 💪📝

Mas não são apenas os gatilhos relacionados ao trabalho que podem me desequilibrar. Eventos pessoais e mundiais também têm um impacto profundo no meu bem-estar emocional. Encaremos a realidade; os últimos dois anos têm sido uma montanha-russa em uma escala global. Não é de surpreender que qualquer pessoa possa se sentir desesperançosa e desesperada nesses tempos incertos. Portanto, aprendi a praticar autocuidado proativo, dando prioridade ao sono, me mantendo ativo, gerenciando minha agenda de forma eficaz e me enchendo de auto compaixão. A depressão se alimenta da dúvida e não permitirei que ela sequestra meus pensamentos. 🌍😌

Meu Maior Obstáculo: Triunfo Sobre a Escuridão

Agora, vamos falar sobre o elefante na sala: os momentos em que a depressão quase me consumiu. Na minha juventude, aos 20 e poucos anos, lutei com pensamentos suicidas e me senti completamente fora de controle. Foi uma experiência aterrorizante e eu não sabia se conseguiria aguentar. Mas graças à terapia e à medicação, encontrei uma maneira de navegar nessas águas traiçoeiras. Não foi fácil, mas saí daquele túnel escuro e cheguei à luz. Claro, esses pensamentos passivos suicidas ocasionalmente ressurgem, mas aprendi a controlá-los. É uma batalha constante, mas uma que estou determinado a vencer. 💔🌟

Vivendo com os Altos e Baixos: Encontrando a Paz no Meio da Tempestade

Embora minha jornada com a depressão tenha sido cheia de altos e baixos, posso dizer com orgulho que encontrei mais paz à medida que envelheci. A intensidade da montanha-russa diminuiu um pouco. Quando me sinto bem, a acolho de braços abertos, valorizando cada momento. E quando estou apenas ok, me lembro de que também faz parte da jornada. 🎢🌈

Para lidar com essas flutuações, eu confio no meu arsenal de mecanismos de enfrentamento: terapia, uma rede de apoio de amigos e família e me manter ativo. São os pilares que me mantêm firme quando a turbulência começa. É tudo sobre abraçar a jornada, não importa para onde ela me leve. 🤗

O Que Sei Agora: Lições Aprendidas e Crescimento Alcançado

Através de tudo isso, a lição mais importante que aprendi é que não sou definido pela minha depressão. Ela faz parte da minha vida, mas não me define. A depressão me empurrou para crescer de maneiras que eu nunca antecipei. Claro, não desejo isso para meu pior inimigo, mas me deu uma perspectiva única e me tornou mais compassivo com os outros. Na verdade, me inspirou a me tornar um terapeuta, carregando a tocha do apoio para aqueles que trilham um caminho semelhante. Eu costumava ressentir minha depressão, mas agora, vejo-a como um capítulo vital na minha vida, um que moldou a pessoa que sou hoje. 🌱❤️

Lembre-se, se você está lutando contra a depressão, você não está sozinho. Procure um profissional de saúde mental ou busque apoio de entes queridos. Juntos, podemos superar a tempestade e abraçar a luz do sol que nos espera do outro lado.

Agora, vamos superar o estigma e iniciar uma conversa compassiva sobre saúde mental. Compartilhe este artigo com alguém que precisa de um pouco mais de amor e compreensão hoje! 📲❤️

Q&A

P: É necessário tomar medicação para tratar a depressão?

R: A medicação pode ser uma ferramenta útil para tratar a depressão, mas não é a única opção. Algumas pessoas encontram alívio por meio de terapia, mudanças no estilo de vida e redes de apoio. É essencial trabalhar com um profissional de saúde mental para determinar a melhor abordagem para a sua situação única.

P: Como posso apoiar um ente querido que está lutando contra a depressão?

R: A melhor coisa que você pode fazer é estar presente para eles. Ouça sem julgamento, ofereça seu apoio e incentive-os a buscar ajuda profissional, se necessário. Lembre-se, sua presença e compreensão podem fazer toda a diferença.

P: A depressão pode desaparecer completamente?

R: A jornada de viver com depressão é diferente para cada pessoa. Algumas podem experimentar períodos de remissão, enquanto outras podem gerenciar seus sintomas de forma mais consistente. Com o suporte e as ferramentas adequadas, é possível encontrar momentos de paz e felicidade, apesar de conviver com a depressão.

P: Existem remédios naturais para tratar a depressão?

A: Embora não exista uma solução única que sirva para todos, algumas pessoas encontram alívio por meio de práticas como exercício, atenção plena e uma dieta bem equilibrada. Essas mudanças de estilo de vida podem apoiar o bem-estar mental geral. No entanto, é essencial consultar um profissional de saúde antes de fazer quaisquer mudanças importantes.

P: A terapia realmente pode fazer diferença no manejo da depressão?

A: Com certeza! A terapia oferece um espaço seguro para explorar e navegar pelas complexidades da depressão. Um terapeuta habilidoso pode ajudá-lo a desenvolver habilidades de enfrentamento, desafiar padrões de pensamento negativos e fornecer suporte durante toda a sua jornada.

Referências

  1. Compreendendo a Depressão: Sinais, Sintomas, Causas e Tratamento
  2. Medicação para a Depressão
  3. Exercício e Saúde Mental: Como Mover o Seu Corpo Aumenta o Seu Humor
  4. O Poder do Apoio Social para a Saúde Mental
  5. Abordagens Baseadas em Atenção Plena para a Depressão

Crédito da foto: SrdjanPav / Getty Images

FONTE: Elena Sledge, MEd, LMHC, terapeuta, Awaken Therapy Collective LLC, Winter Park, FL.