Restringir o acesso aos vapes pode levar as pessoas a fumar cigarros

A limitação do acesso aos vapes pode incentivar o consumo de cigarros

Imagem da Notícia: Restringir o Acesso aos Vapes Pode Levar as Pessoas a Fumar Cigarros

Enquanto as autoridades dos Estados Unidos restringiram os vapes com sabores para tornar os cigarros eletrônicos menos atraentes para os jovens, esse plano pode estar dando errado.

Um novo estudo descobriu que, para cada 0,7 mililitro de “e-líquido” para cigarros eletrônicos que não é vendido devido às restrições de sabor, são vendidos mais 15 cigarros tradicionais.

O estudo, apoiado pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, encontrou evidências de que esses cigarros extras estavam sendo vendidos em marcas populares entre pessoas com até 20 anos.

As políticas de restrição de sabores podem na verdade amplificar os danos da nicotina em vez de ajudar, disseram os autores.

“Embora nem o ato de fumar nem o de vaporizar sejam totalmente seguros, evidências atuais indicam que o tabagismo causa danos à saúde substancialmente maiores do que o uso de produtos de nicotina por vaporização”, disse a primeira autora Abigail Friedman, professora associada da Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale.

“Os custos para a saúde pública dessas políticas podem superar seus benefícios”, disse ela em um comunicado à imprensa da universidade.

Os responsáveis pelas políticas públicas voltaram sua atenção para os vapes devido aos seus sabores frutados e de sobremesa, que poderiam atrair os jovens.

Um surto de lesões pulmonares associadas ao uso de vapes em 2019 resultou em pelo menos 68 mortes e milhares de internações hospitalares.

Isso levou à restrição dos vapes, embora a causa primária do surto tenha sido um aditivo mais comum em produtos de vape de cannabis, de acordo com a Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale.

Para estudar o impacto das restrições sobre os produtos de cigarro eletrônico com sabores, os pesquisadores avaliaram as vendas de cigarros eletrônicos e convencionais em 16 estados dos Estados Unidos.

Isso incluía a criação de um banco de dados com restrições estaduais e locais dentro desses estados e a revisão de políticas de restrição específicas. Os dados de vendas foram obtidos em postos de gasolina, mercearias e lojas de conveniência.

Os autores também consideraram restrições às vendas de charutos com sabor e cigarros mentolados, taxas de impostos, disponibilidade de cannabis e taxas de desemprego.

Comparando as restrições com os dados de vendas ao longo de intervalos de quatro semanas de janeiro de 2018 a março de 2023, eles observaram que as restrições de sabores passaram de afetar 1,3% da população nacional para 38%.

Nas áreas onde as restrições de sabores estavam em vigor há pelo menos um ano, as vendas de cigarros aumentaram 10% nas marcas preferidas pelos adultos e 20% nas marcas atrativas para os fumantes menores de idade.

Cerca de 71% do aumento nas vendas foi devido a cigarros não mentolados, descobriram os pesquisadores.

Os autores instaram os responsáveis pelas políticas públicas a considerar outras abordagens para proteger a saúde pública.

“Alguns estudiosos de destaque defendem a regulamentação proporcional ao risco dos produtos do tabaco”, afirmaram. “Essa abordagem evitaria dar uma vantagem competitiva a produtos mais letais e combustíveis, como os cigarros, em relação a alternativas menos letais … [e] poderia significar que houvesse mais sabores disponíveis nos [vapes] do que nos cigarros.”

Uma limitação do estudo é que os dados de vendas não incluíam as vendas de cigarros eletrônicos realizadas online, em lojas de vape ou em mercados ilícitos.

As descobertas foram recentemente publicadas antes da revisão por pares na Social Science Research Network. As pesquisas são normalmente consideradas preliminares até serem revisadas por pares.

FONTE: Universidade de Yale, comunicado de imprensa, 18 de outubro de 2023

PERGUNTA

Qual é o aumento médio de peso para aqueles que param de fumar?Veja a resposta