Manter o seu relacionamento durante o Alzheimer

Fortaleça seu relacionamento com um ente querido com Alzheimer através do Cuidado Centrado no Relacionamento

Manter Relacionamentos com Entes Queridos com Alzheimer: Um Guia para Cuidados Centrados no Relacionamento

A doença de Alzheimer é um diagnóstico desafiador, não apenas para a pessoa com a doença, mas também para seus entes queridos. À medida que a doença progride, torna-se cada vez mais difícil reconhecer o “eu antigo” da pessoa. Pode parecer que a pessoa que você conhecia e amava não está mais lá, mesmo que esteja fisicamente presente. Mas como manter um relacionamento significativo com alguém com Alzheimer? Começa com o entendimento dos efeitos do Alzheimer nas respostas mentais e emocionais e se adaptando a uma nova forma de se relacionar com eles.

Não é Você, é a Doença

De acordo com Virginia Wadley Bradley, PhD, professora emérita de medicina, gerontologia, geriatria e cuidados paliativos da Universidade do Alabama em Birmingham, é crucial distinguir a doença da pessoa. Saber como o Alzheimer afeta o cérebro e o comportamento permite que você forneça empatia e apoio. A doença de Alzheimer pode ser dividida em três estágios: inicial, intermediário e avançado. No estágio inicial, a memória começa a falhar, levando a dificuldades em lembrar nomes, perder coisas e problemas no manejo de medicamentos. Conforme a doença progride para os estágios intermediário e avançado, esses sintomas pioram, causando mudanças emocionais e comportamentais. A pessoa pode experimentar raiva, tristeza ou frustração intensificadas e eventualmente perder a capacidade de cuidar de si mesma.

É importante reconhecer que essas mudanças de comportamento podem ser angustiantes tanto para a pessoa com Alzheimer quanto para seus entes queridos. Bradley explica que existe um processo de luto quando você percebe que seu relacionamento nunca mais será o mesmo. Embora a pessoa que você ama ainda esteja lá, eles perderam muitas habilidades.

Uma Nova Forma de se Relacionar

Aceitar o diagnóstico do seu ente querido é o primeiro passo para forjar um novo relacionamento. À medida que sua personalidade muda, é vital aceitar que seu relacionamento evoluirá. Isso envolve adotar cuidados centrados no relacionamento, um método que reconhece quem a pessoa com Alzheimer foi e se encontra atualmente. Essa abordagem permite que médicos adaptem os cuidados às habilidades e preferências individuais, envolvendo a família nos processos de tomada de decisão. Os cuidados centrados no relacionamento garantem que a dignidade e a compaixão sejam mantidas ao longo da jornada de cuidados.

No dia a dia, os cuidados centrados no relacionamento dependem do conhecimento do cuidador sobre o relacionamento anterior do ente querido. Embora existam padrões de declínio, cada pessoa com Alzheimer é única, e cabe a você avaliar como elas estão reagindo. Para manter os relacionamentos fortes quando seu ente querido tem Alzheimer, considere incorporar estas cinco ideias:

Reconheça as faíscas familiares 🌟

Só porque seu ente querido não pode participar totalmente da vida como antes, não significa que eles não encontrarão alegria ou propósito em atividades que anteriormente apreciavam. Foque em reconhecer as faíscas da pessoa que você conhecia em vez de se deter em aspectos de sua personalidade que possam não estar mais presentes. Por exemplo, se seu marido gostava de música Reggae, tocar um pouco de Bob Marley pode trazer alegria a ele. Se a tia Claire era uma excelente cozinheira, pedir para ela ajudar em tarefas simples de cozimento pode criar um senso de propósito e bem-estar. Manter fotos familiares e itens queridos em seu ambiente de convivência também pode fornecer conforto e servir como distrações quando surgirem confusão ou agitação.

Adapte-se 🔄

Os sintomas do Alzheimer podem ser imprevisíveis. O que ajuda seu ente querido hoje pode não funcionar amanhã. É recomendado estabelecer uma rotina diária familiar, mas esteja pronto para adaptar e mudar os planos se seu ente querido estiver tendo um dia difícil. Flexibilidade e adaptabilidade às suas respostas e estados de ânimo podem ajudar ambos a manter o bem-estar emocional.

Redefina expectativas 🧐

Pode ser frustrante quando seu ente querido não consegue mais realizar tarefas simples ou luta com informações básicas. No entanto, é essencial deixar de lado essas expectativas e manter uma atitude positiva. Em vez de corrigir ou perguntar “Você não se lembra?”, tente redirecionar, distrair ou mudar de assunto. Foque no momento presente e enfatize o que eles ainda podem fazer em vez do que perderam. Permanecer calmo e positivo pode influenciar o estado emocional do seu ente querido, pois pessoas com Alzheimer frequentemente refletem as emoções daqueles ao seu redor.

Mantenha a aproximação 👥

Ter Alzheimer ou cuidar de alguém com a doença pode fazer você se sentir isolado. Incentive membros da família e amigos a se conectarem com seu ente querido de maneiras que sejam confortáveis para eles. Por exemplo, peça aos familiares para gravarem mensagens de vídeo curtas para serem compiladas em um looping para que seu ente querido possa assistir repetidamente. Outra ideia é criar um álbum de fotos acompanhado de nomes, datas e locais. Manter seu ente querido conectado ao sistema de apoio ajuda a manter um senso de pertencimento e felicidade.

Cuide de si mesmo 🌟

Cuidar de alguém com Alzheimer é um compromisso de longo prazo e, como cuidador, é essencial priorizar seu próprio bem-estar mental e físico. Encontrar tempo para autocuidado é crucial para evitar o esgotamento. Considere matricular seu ente querido em um centro de cuidados diários para adultos, pedir apoio a outros membros da família ou contratar um cuidador para que você possa fazer pausas e recarregar as energias. Grupos de apoio também podem ser imensamente úteis, proporcionando um espaço para compartilhar experiências e obter novas perspectivas sobre como se relacionar com seu ente querido. Além disso, muitas comunidades online, como o Instituto Nacional do Envelhecimento, oferecem suporte e recursos para cuidadores.

A natureza progressiva do Alzheimer inevitavelmente mudará sua forma de se relacionar com seu ente querido. No entanto, ao entender os efeitos da doença no comportamento e adotar uma abordagem centrada no relacionamento, você pode descobrir novas maneiras de valorizar cada interação e manter uma conexão significativa.

P&R: Abordando Suas Preocupações

P: Existem tratamentos ou medicamentos para desacelerar a progressão da doença de Alzheimer? R: Atualmente, não há cura para a doença de Alzheimer, mas vários tratamentos e medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Consulte o profissional de saúde do seu ente querido para obter recomendações personalizadas e orientações.

P: Como posso me comunicar efetivamente com meu ente querido que tem Alzheimer? R: A comunicação pode ser desafiadora, mas existem estratégias que podem ajudar. Mantenha contato visual, fale devagar e claramente, use frases simples e concisas e forneça pistas visuais. Paciência e compreensão são essenciais.

P: Quais são algumas atividades que meu ente querido com Alzheimer ainda pode desfrutar? R: Participar de atividades que estimulem os sentidos e explorem seus interesses passados pode ser prazeroso para alguém com Alzheimer. Considere terapia musical, exercícios leves, projetos de arte ou recordar momentos através de álbuns de fotos.

P: Como posso lidar com o impacto emocional de cuidar de alguém com Alzheimer? R: Cuidar de alguém com Alzheimer pode ser emocionalmente desafiador. Procure apoio de amigos, familiares e grupos de apoio que possam oferecer compreensão e conselhos práticos. Além disso, cuide do seu próprio bem-estar, participe de atividades de autocuidado e não hesite em pedir ajuda quando necessário.

P: Quais são as considerações legais e financeiras que devo ter ao cuidar de alguém com Alzheimer? R: É importante consultar um advogado ou planejador financeiro para garantir que você tenha os documentos legais e financeiros necessários no lugar, como procurações, testamentos vitais e diretrizes de saúde. Planejar com antecedência pode ajudar a aliviar o estresse e garantir o bem-estar do seu ente querido.

Fontes:

  1. Universidade da Califórnia, San Francisco, Instituto de Neurociências Weill, Centro de Memória e Envelhecimento: “Alterações Comportamentais e de Personalidade”
  2. Associação de Alzheimer: “Estágios do Alzheimer”
  3. Sociedade de Alzheimer: “Cuidado centrado na pessoa”
  4. Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Institutos Nacionais de Saúde, Alzheimers.gov: “Dicas para Cuidadores e Famílias com Demência”
  5. Instituto Nacional do Envelhecimento: “Doença de Alzheimer e Demências Relacionadas”
  6. Crédito da Foto: E+/Getty Images

Lembre-se, cuidar do seu ente querido com Alzheimer é uma jornada que requer paciência, compreensão e apoio. Compartilhe este artigo com outras pessoas que possam achar útil e participe da conversa nas redes sociais. Juntos, podemos enfrentar os desafios do Alzheimer e oferecer o amor e cuidado que nossos entes queridos merecem. 💜✨