Por que mais meninas e meninos estão adquirindo infecções por HIV?

Dados do UNICEF revelam aumento das infecções por HIV entre meninas e jovens mulheres; especialistas fornecem insights sobre possíveis causas.

A UNICEF relata que a maioria dos casos de HIV na infância ocorre em meninas.

foto mostrando frascos de amostras de sangue e mãos enluvadas segurando uma caneta

Você já parou para se perguntar por que as infecções por HIV estão aumentando entre meninas e meninos? 🤔 Bem, você não está sozinho. De acordo com um novo relatório da UNICEF, o ônus do HIV está caindo de forma desproporcional sobre meninas adolescentes e crianças em algumas partes do mundo. 😮 Vamos dar uma olhada mais de perto nas valiosas informações fornecidas por este relatório e responder a algumas perguntas urgentes que você possa ter.

A Dura Realidade

Crianças e adolescentes com 19 anos ou menos representam apenas 7% das pessoas com HIV, mas eles constituem chocantes 15% das mortes por doenças relacionadas à AIDS. 😔 Este novo panorama global da UNICEF revela quão grave é a situação para meninos e meninas jovens em todo o mundo.

Acesso Insuficiente ao Tratamento de HIV para Crianças

O relatório enfatiza que o tratamento para pessoas mais jovens é severamente insuficiente em comparação com as opções disponíveis para adultos. Embora crianças com idade entre 0 e 19 anos representem apenas 7% daqueles que vivem com AIDS, elas representam impressionantes 15% de todas as mortes pela doença. 😔 Esse desequilíbrio destaca a necessidade urgente de medicamentos antirretrovirais adequados à idade e testes padronizados.

Então, por que o HIV está aumentando entre as jovens?

Adolescentes do sexo feminino e mulheres jovens na África subsaariana são particularmente suscetíveis à aquisição do HIV devido a vários fatores, incluindo experiências sexuais precoces, relacionamentos intergeracionais, vulnerabilidade socioeconômica e desequilíbrios de poder relacionados ao gênero. 😞 A Dra. Tetyana Vasylyeva, do Departamento de Saúde da População e Prevenção de Doenças da U.C. Irvine, sugere que a violência sexual, especialmente a violência do parceiro íntimo, frequentemente coloca as jovens em risco. O panorama da UNICEF revela que o HIV entre adolescentes do sexo feminino e mulheres jovens de 10 a 24 anos é mais de três vezes maior do que entre seus colegas do sexo masculino.

P&R: Quais são os fatores de risco que tornam as adolescentes mais vulneráveis ao HIV?

HIV em Crianças

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que havia 1,8 milhão de crianças de 0 a 14 anos vivendo com HIV no final de 2019, com 150.000 novas infecções naquele ano. Chocantemente, sem melhor acesso a diagnósticos e tratamentos, 50% das crianças com HIV não viverão para ver seu segundo aniversário e 80% não viverão para ver seu quinto aniversário. 😢

P&R: Como as crianças contraem o HIV?

Mais de 90% das infecções por HIV na infância são devido à transmissão de mães infectadas durante a gravidez, parto ou amamentação. É uma realidade devastadora que essas crianças inocentes enfrentam imensos desafios de saúde tão jovens.

Estratégias para Combater o HIV na Infância

A distribuição descentralizada de tratamentos e as estratégias de entrega de serviços remotas ou virtuais têm se mostrado bem-sucedidas no combate ao HIV na infância. No entanto, implementar essas soluções em larga escala e com fidelidade ainda é um desafio significativo para muitos países. Mas não se preocupe! Há um raio de esperança no horizonte. 😌 O inibidor de integrase dolutegravir (DTG) mostrou promessa em testes e pode ser administrado a pacientes com HIV a partir de 4 semanas de idade. Dados do mundo real de seis países do leste e sul da África produziram resultados promissores para crianças e adolescentes de 0 a 19 anos que receberam DTG entre 2017 e 2020.

P&R: As crianças em tratamento podem transmitir o HIV?

Não, elas não podem! O tratamento é a melhor estratégia de prevenção, pois reduz a carga viral na comunidade. O conceito de “indetectável é igual a intransmissível” enfatiza que pessoas em tratamento não podem transmitir o HIV para seus parceiros.

Resumindo

O fardo global do HIV recai desproporcionalmente sobre as adolescentes e as crianças, especialmente na África subsaariana. O acesso a tratamentos e testes adequados à idade ainda é insuficiente, deixando vidas jovens em risco. Fatores como experiências sexuais precoces, desigualdades de poder relacionadas ao gênero e vulnerabilidade socioeconômica contribuem ainda mais para a crise. No entanto, avanços no tratamento, como o inibidor de integrase dolutegravir, trazem esperança para um futuro melhor. Juntos, podemos combater o HIV na infância e proteger a próxima geração!

💡 Achou este artigo informativo? Compartilhe com seus amigos e vamos aumentar a conscientização sobre os desafios enfrentados por meninos e meninas que lutam contra o HIV.


Referências:

  1. Relatório da UNICEF
  2. Violência sexual e HIV
  3. Fatores de risco para adolescentes do sexo feminino
  4. Infecções por HIV na infância
  5. Dados do mundo real sobre DTG

Aviso Legal: As informações fornecidas neste artigo não têm a intenção de substituir o aconselhamento médico profissional, o diagnóstico ou o tratamento. Procure sempre a orientação do seu médico ou de outros profissionais de saúde qualificados para qualquer dúvida que possa ter em relação a uma condição médica.