Viver com Doença Cardíaca Encontrar Força e Abraçar a Vida

Mudanças de Estilo de Vida que Fiz para o Bem do Meu Coração

Mudanças no estilo de vida para um coração saudável

Por Bouba Diemé, conforme contado a Keri Wiginton

Introdução

Imagine ter 26 anos, estar comandando um acampamento de treinamento físico e, de repente, se ver incapaz de acompanhar o grupo durante uma corrida de aquecimento. Essa foi a minha realidade em 2012, quando fui diagnosticado com miocardiopatia dilatada, uma condição em que o coração é maior do que o normal e não bombeia sangue de forma eficiente. Foi um choque, mas minha mentalidade mudou quando descobri que minha condição cardíaca, miocardiopatia de não compactação ventricular esquerda (LVNC), é congênita. Eu havia vivido com doença cardíaca a minha vida toda sem nem mesmo saber. Foi quando parei de lutar contra minha condição e aprendi a abraçá-la. Neste artigo, vou compartilhar como encontrei minha calma, ajustei minha rotina de exercícios, fiz mudanças na minha alimentação e percebi que viver com uma doença cardíaca não significa desistir de ter uma vida gratificante.

Encontrando Minha Calma

A resiliência mental desempenhou um papel crucial na minha jornada. Enfrentar a morte em uma idade jovem foi avassalador, mas eu precisava recuperar o controle dos meus pensamentos e emoções. Percebi a importância de compartilhar minha experiência com os outros e buscar apoio. Como pessoa independente, não foi fácil pedir ajuda, mas foi necessário para o meu bem-estar. Também tive que aprender a dizer “não” para mim mesmo e me esforçar para socializar, fazer amigos e ser uma parte ativa da comunidade. Essas experiências me trouxeram uma nova sensação de felicidade.

P: Como posso encontrar apoio e lidar com os desafios mentais de viver com uma doença crônica?

R: Encontrar uma rede de apoio, seja por meio de terapia, grupos de apoio ou se conectar com outras pessoas que enfrentam desafios semelhantes, pode fazer uma grande diferença para o seu bem-estar mental. Além disso, praticar técnicas de mindfulness, como meditação ou buscar orientação de líderes culturais e espirituais, pode fornecer força e resiliência adicionais.

Uma Nova Rotina de Exercícios

Manter a forma física era importante para mim, mesmo com baixos níveis de energia devido à insuficiência cardíaca. Trabalhei com um personal trainer que me ajudou a desenvolver uma rotina de exercícios segura e estável. Em vez de treinos de alta intensidade, foquei em construir músculos por meio de mais repetições com pesos mais leves. Essa abordagem gradualmente aumentou meus níveis de energia.

Minha rotina de exercícios agora inclui:

  • Sessões regulares de treinamento de força com duração de 30 a 60 minutos, duas vezes por semana.
  • Busca por 8.000 a 10.000 passos diários, incorporando atividades aeróbicas variadas, como caminhada, ciclismo, andar com passo acelerado e treinos em esteira.
  • Estabelecimento de metas realistas e aumento gradual dos níveis de atividade à medida que meu corpo se recuperava.
  • Participação em atividades em grupo, como artes marciais, para desafiar a resistência e melhorar a flexibilidade.

P: Como posso fazer exercícios de forma segura e manter os níveis de fitness enquanto vivo com doença cardíaca?

R: Trabalhar com um personal trainer qualificado ou especialista em exercícios é essencial para desenvolver uma rotina de exercícios segura e personalizada. É crucial ouvir o seu corpo, estabelecer metas realistas e aumentar gradualmente os níveis de atividade. Consultar sua equipe de saúde para entender suas zonas de segurança e obter orientações sobre exercícios que se adequem à sua condição.

Mudanças na Alimentação

Para otimizar a saúde do meu coração, consultei um nutricionista para desenvolver uma abordagem equilibrada. Aprendi a importância de reduzir a ingestão de sal, minimizar comer fora e focar em frutas frescas, legumes e ingredientes saudáveis para o coração. Também adotei serviços de entrega de refeições por conveniência e estoquei itens essenciais para evitar pular refeições e evitar fome excessiva.

Manter-se hidratado também é vital, e busco beber cerca de 84 onças de água por dia, ajustando para uma maior ingestão durante o clima quente. Embora eu dê prioridade a uma dieta saudável, me permito alguma flexibilidade para desfrutar de pequenos prazeres ocasionalmente.

P: Que mudanças na alimentação posso fazer para apoiar a saúde do coração?

R: Reduzir o consumo de sódio, aumentar o consumo de frutas e legumes e manter uma hidratação adequada são fundamentais para apoiar a saúde do coração. Consultar um nutricionista registrado pode ajudar a desenvolver um plano personalizado adaptado às suas necessidades e metas dietéticas específicas.

Seguindo em Frente

Entender que minha condição cardíaca é genética me trouxe uma sensação de clareza e me ajudou a liberar qualquer culpa ou autocondenação. Enquanto aguardo um transplante de coração, atualmente vivo com um dispositivo auxiliar ventricular esquerdo (LVAD). Abraçar as mudanças no estilo de vida, como ajustar minha rotina de exercícios e adotar uma dieta saudável para o coração, teve um impacto positivo nos meus níveis de energia e bem-estar geral.

P: Como posso encontrar um sentido de propósito e apoio dentro da comunidade de doenças cardíacas?

R: Se engajar com outras pessoas na comunidade de doenças cardíacas por meio de grupos de apoio, fóruns online ou chamadas agendadas pode proporcionar um senso valioso de pertencimento e apoio. Compartilhar experiências, ouvir histórias de outras pessoas e oferecer empatia cria um espaço de apoio para cura e crescimento.

Lembre-se, você é mais do que sua condição. Você tem a força para navegar pela vida com resiliência e determinação. Abrace sua jornada e aprecie os momentos que lembram do espírito vibrante dentro de você.

Lista de Referências:

  1. American Heart Association
  2. Mayo Clinic – Insuficiência Cardíaca Congestiva
  3. CardioSmart – Vivendo com Insuficiência Cardíaca
  4. Harvard Health Publishing – Atividade Física e Saúde Cardiovascular
  5. EatRight – Nutrição para a Saúde Cardíaca

Lembre-se de compartilhar este artigo com outras pessoas que possam se beneficiar das informações. Vamos espalhar conscientização e nos apoiar mutuamente em nossa jornada em direção a corações mais saudáveis! 💙✨

Aviso Legal: As informações fornecidas neste artigo são apenas para fins educacionais e não constituem aconselhamento médico. Consulte um profissional de saúde para orientação personalizada.