Ozempic e Mounjaro A Batalha contra Problemas Gastrointestinais

Um grande número de americanos que gerenciam diabetes estão optando por uma nova seleção de medicamentos injetáveis, como as drogas populares Ozempic (semaglutide) e Mounjaro (tirzepatide).

50% dos pacientes com diabetes que usam Ozempic e Mounjaro não precisam mais tomar os medicamentos

Imagem da Notícia: Metade dos Pacientes com Diabetes em Ozempic, Mounjaro Param de Usar os Remédios

Muitos americanos que lutam contra o diabetes estão recorrendo a uma nova classe de medicamentos para controlar sua condição. Esses medicamentos, como Ozempic (semaglutida) e Mounjaro (tirzepatida), pertencem à classe dos agonistas do receptor do peptídeo-1 similar ao glucagon (GLP-1 RAs) e são medicamentos injetáveis. No entanto, um estudo recente descobriu que metade dos pacientes que usam essas terapias “de segunda linha” desistem dentro de um ano. O principal motivo? Problemas gastrointestinais como náusea, vômito e diarreia. Parece que a batalha contra o diabetes deu uma reviravolta inesperada, com alguns pacientes lutando para continuar tomando esses medicamentos que supostamente deveriam ajudá-los.

O Dilema dos Agonistas do Receptor do Peptídeo-1 Similar ao Glucagon

Ok, então o que exatamente são os GLP-1 RAs? GLP-1 RAs significa agonistas do receptor do peptídeo-1 similar ao glucagon. Eles são medicamentos usados para controlar os níveis de açúcar no sangue em pacientes com diabetes tipo 2. Além de Ozempic e Mounjaro, outros medicamentos dessa classe incluem exenatida (Byetta), liraglutida (Saxenda) e dulaglutida (Trulicity).

O Grande Êxodo

O estudo conduzido por David Liss e seus colegas da Escola de Medicina da Universidade Northwestern de Feinberg acompanhou mais de 82.000 pacientes com diabetes entre 2014 e 2017. Eles analisaram a adesão à prescrição e descobriram que cerca de 38% dos pacientes pararam de usar seus medicamentos dentro de um ano após a troca do medicamento de primeira linha, metformina, em quatro das cinco classes de medicamentos para diabetes examinadas. No entanto, quando se tratava de GLP-1 RAs, a taxa de descontinuação aumentou para 50%.

Não é Apenas Problema de Estômago

Embora o estudo não tenha analisado as razões exatas pelas quais os pacientes pararam de usar esses medicamentos, está claro que os efeitos colaterais gastrointestinais desempenham um papel significativo. Mas aqui está a parte interessante: esses problemas também podem ocorrer quando pessoas sem diabetes usam GLP-1 RAs para perda de peso. Então, parece que os GLP-1 RAs têm uma relação de amor e ódio com nossos sistemas digestivos.

Os Riscos de Desistir

A descontinuação de um medicamento GLP-1 RA não leva necessariamente a um aumento imediato nos níveis de açúcar no sangue. No entanto, coloca os pacientes em maior risco de hospitalizações relacionadas ao diabetes no futuro. Liss e sua equipe estão preocupados que muitos pacientes possam parar de tomar seus medicamentos sem informar seus provedores de cuidados de saúde, o que pode levar a consequências perigosas. É essencial que os pacientes e médicos mantenham uma comunicação aberta sobre os benefícios, efeitos colaterais e custos dos medicamentos, não apenas durante a fase inicial de prescrição.

P&R: Suas Perguntas Respondidas

P: Por que os GLP-1 RAs causam problemas gastrointestinais?

R: Os GLP-1 RAs funcionam imitando o hormônio GLP-1, que ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue. Infelizmente, esses medicamentos também podem estimular o sistema gastrointestinal, causando sintomas como náusea, vômito e diarreia. Os mecanismos exatos por trás desses efeitos colaterais ainda estão sendo estudados.

P: Existem alternativas aos GLP-1 RAs para o tratamento do diabetes tipo 2?

R: Sim, existem várias outras classes de medicamentos disponíveis para o tratamento do diabetes tipo 2, como sulfonilureias, inibidores de SGLT2, inibidores da DPP-4 e outros. Cada classe tem seus próprios benefícios e possíveis efeitos colaterais, portanto, é crucial trabalhar em estreita colaboração com seu provedor de cuidados de saúde para encontrar a melhor opção de tratamento para você.

P: Mudanças no estilo de vida sozinhas podem ajudar a controlar o diabetes tipo 2 sem o uso de medicamentos?

R: Mudanças no estilo de vida, incluindo uma dieta saudável e exercícios regulares, desempenham um papel vital no controle do diabetes tipo 2. Em alguns casos, essas mudanças podem ser suficientes para controlar os níveis de açúcar no sangue e reduzir ou eliminar a necessidade de medicamentos. No entanto, é importante consultar seu provedor de cuidados de saúde antes de fazer quaisquer alterações em seu plano de tratamento.

Pensamentos Finais

Gerenciar o diabetes não é uma tarefa fácil, e a introdução dos GLP-1 RAs era esperada para fornecer algum alívio aos pacientes. No entanto, as altas taxas de descontinuação devido a problemas gastrointestinais levantaram preocupações na comunidade médica. É crucial que os provedores de saúde e os pacientes trabalhem juntos para encontrar a abordagem de tratamento certa que equilibre eficácia e tolerabilidade. Lembre-se, parar a medicação sem orientação adequada pode ter consequências graves. Então, vamos manter a conversa e garantir que todos tenham o apoio de que precisam em sua jornada contra o diabetes.


Referências: – Metade dos Pacientes com Diabetes em Ozempic, Mounjaro Deixam de Usar os MedicamentosDiabetes Tipo 2: Sinais, Sintomas, Tratamentos – SlideDiagnóstico, Tratamento, Medicamentos para Diabetes Tipo 2

Gostaria de compartilhar sua história de diabetes ou tem alguma dúvida sobre o gerenciamento do diabetes? Deixe-nos saber nos comentários abaixo e lembre-se de compartilhar este artigo com outras pessoas que possam achá-lo útil! 💙🩺🍏

Nota: As informações médicas neste artigo são fornecidas apenas como um recurso informativo e não devem ser usadas ou confiadas para fins de diagnóstico ou tratamento. Consulte seu provedor de saúde para obter orientações médicas personalizadas.