Não use os colírios Dr. Berne’s e LightEyez devido a bactérias e fungos, diz a FDA

FDA warns against using Dr. Berne's and LightEyez eye drops due to bacteria and fungi.

Colírios contaminados estão de volta às notícias, com os reguladores federais alertando os consumidores para não usarem certos colírios devido a preocupações com a contaminação.

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) aconselhou as pessoas a evitarem comprar e pararem imediatamente de usar as Soluções Dr. Berne’s MSM Drops 5% e os Colírios LightEyez MSM Eye Drops—Eye Repair, pois os colírios podem estar contaminados com bactérias, fungos ou ambos.

Os microrganismos específicos isolados nos testes da FDA incluem Bacillus (uma bactéria) e o fungo Exophiala na Solução Dr. Berne’s MSM Drops 5%.

Nos Colírios LightEyez MSM Eye Drops—Eye Repair, os testes da FDA detectaram bactérias, incluindo Pseudomonas, Mycobacterium, Mycolicibacterium e Methylorubrum.

Os produtos Dr. Berne’s são distribuídos pela Dr. Berne’s Whole Health Products. Essa empresa concordou na segunda-feira em fazer um recall voluntário desses colírios específicos.

Os produtos LightEyez são distribuídos pela LightEyez Limited. A LightEyez não respondeu a um e-mail da FDA buscando discutir as preocupações da agência, informou a agência.

Até agora, ninguém relatou eventos adversos pelo uso dos colírios, disse a FDA, mas os produtos devem ser descartados, pois o uso deles pode levar a infecções que ameaçam a visão, de leves a graves. Isso pode até progredir para uma infecção que ameaça a vida, alertou a agência.

Os pacientes que apresentarem sinais ou sintomas de uma infecção ocular devem conversar com seu profissional de saúde ou procurar atendimento médico imediato.

Os dois tipos de colírios incluídos no aviso também contêm metilsulfonilmetano (MSM) como ingrediente ativo. De acordo com a FDA, nenhum colírio oftálmico legalmente comercializado contém MSM como ingrediente ativo, portanto, esses produtos são medicamentos não aprovados e comercializados ilegalmente nos Estados Unidos.

Por lei federal, os colírios devem ser estéreis para serem seguros para uso. A FDA afirmou que amostrou e testou esses produtos devido aos problemas recentes do setor de colírios com a fabricação de colírios.

Até o final de maio deste ano, um total de 81 casos de infecções graves – relacionadas a 10 marcas de colírios contaminados com uma cepa rara de bactéria resistente a medicamentos – foram relatados em todo os Estados Unidos.

No total, quatro pessoas morreram, relatou o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), e um total de 14 pessoas tiveram perda de visão. Quatro casos envolveram pessoas com infecções tão graves que tiveram que remover seus globos oculares cirurgicamente.

O surto relatado nesta primavera envolveu 10 marcas de colírios, sendo o mais comum o EzriCare Artificial Tears. As Artificial Tears Lubricant Eye Drops da Global Pharma Healthcare foram as primeiras a serem recolhidas em fevereiro. Os colírios foram distribuídos pela EzriCare e Delsam Pharma.

FONTE: Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos, 22 de agosto de 2023

PERGUNTA