Discos menstruais podem ajudar mulheres com menstruação intensa, revela estudo.

Estudo mostra que discos menstruais podem ajudar mulheres com menstruação intensa.

Para mulheres com períodos menstruais intensos, alguns produtos menstruais mais recentes podem oferecer mais segurança do que os absorventes e tampões tradicionais.

Isso é o que mostra um novo estudo que testou os níveis de absorção de uma variedade de produtos menstruais – desde absorventes e tampões tradicionais até opções mais recentes, como calcinhas menstruais e discos e copos menstruais reutilizáveis.

Descobriu-se que os discos têm a maior capacidade de absorção, seguidos pelos copos e pelos absorventes e tampões para dias “intensos”. As calcinhas menstruais apresentaram a menor capacidade, de acordo com os resultados publicados em 7 de agosto no periódico BMJ Sexual & Reproductive Health.

Essas diferenças não são necessariamente surpreendentes – especialmente para quem já experimentou diferentes produtos por tentativa e erro.

Mas o que pode surpreender as pessoas, disseram os especialistas, é o fato de tão poucas pesquisas como essa terem sido realizadas.

De fato, estudos sobre menstruação, em geral, são surpreendentemente raros: Uma busca na literatura médica pelo termo “sangue menstrual” retorna cerca de 400 artigos publicados nas últimas décadas – em comparação com 10.000 sobre disfunção erétil, de acordo com um editorial publicado junto com a nova pesquisa.

“É isso que é tão refrescante nesse novo estudo”, disse a Dra. Nichole Tyson, autora do editorial e professora clínica de obstetrícia e ginecologia na Universidade de Stanford.

Os produtos menstruais possuem descrições nas embalagens, como “super” e “intenso”, para transmitir seus poderes de absorção. Mas apenas os tampões são realmente regulamentados em seus testes de absorção, pois estão associados a um maior risco de síndrome do choque tóxico (SCT) – uma complicação rara, mas perigosa, de certas infecções bacterianas.

O objetivo é ajudar os consumidores a escolherem o tampão com a menor capacidade de absorção para atender às suas necessidades, o que reduz as chances de SCT. Mas até mesmo essas métricas são baseadas na capacidade de retenção de soro fisiológico pelos tampões, não no fluxo menstrual.

A nova pesquisa parece ser o primeiro estudo publicado a testar a variedade de produtos menstruais usando células vermelhas do sangue.

Isso não é um substituto perfeito para um período menstrual, também – mas está mais próximo do real do que o soro fisiológico, disse a pesquisadora sênior Dra. Bethany Samuelson Bannow, professora assistente da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon.

Para o estudo, sua equipe testou 21 produtos menstruais, incluindo diferentes marcas de absorventes, uma marca de tampão em vários níveis de absorção, uma marca de calcinhas menstruais de “super” absorção, várias marcas de discos menstruais e uma marca de copo menstrual em diferentes tamanhos.

Discos e copos menstruais são semelhantes no sentido de que são inseridos na vagina e devem ser esvaziados, limpos e reutilizados. Os discos ficam um pouco mais altos na vagina e são comercializados como tendo uma capacidade de retenção maior; os copos, por outro lado, podem ser um pouco mais fáceis de inserir e remover para novos usuários.

Bannow e seus colegas descobriram que os discos menstruais, de fato, tinham a maior capacidade entre os produtos testados – uma marca conseguia reter 80 mL de células sanguíneas. Para comparação, o tampão de maior absorção retinha 34 mL, enquanto o copo menstrual de tamanho grande retinha 35 mL.

No entanto, Bannow não quis apresentar os resultados como uma recomendação de produto.

Por um lado, ela disse: “há muitas razões diferentes pelas quais uma opção em particular pode ser boa para você”.

Como exemplo, Bannow citou mulheres que têm empregos que não permitem muitas pausas para ir ao banheiro ao longo do dia: Independentemente de terem períodos “intensos”, elas podem preferir um disco menstrual. Por outro lado, Bannow disse que alguém com histórico de trauma sexual pode querer usar calcinhas menstruais, mesmo que o nível de absorção seja menor.

Também há a questão do custo. Copos menstruais e discos geralmente têm um preço entre US $25 e US $35, mas como são reutilizáveis, acabam sendo mais baratos do que os produtos descartáveis.

Tyson concordou que as mulheres baseiam suas decisões de compra em vários fatores, não apenas nos níveis de absorção.

“Mas acho importante estar ciente de que existem opções diferentes disponíveis”, disse Tyson.

E isso, ambos os médicos disseram, aponta para uma questão maior: meninas e mulheres não estão necessariamente cientes de suas opções porque a menstruação ainda é um assunto tabu – seja na conversa entre mães e filhas, amigas ou médicos e pacientes.

“Conversas sobre menstruação ainda não são normalizadas”, disse Tyson. “A menstruação não deveria ser constrangedora ou estigmatizada.”

Bannow concordou. “Eu realmente gostaria que pudéssemos acabar com esse tabu menstrual.”

Isso, ela disse, pode encorajar mais pacientes a conversarem com seus médicos quando estão com períodos menstruais intensos que estão interferindo na qualidade de vida delas.

Em alguns casos, um fluxo menstrual intenso pode exigir uma avaliação para uma condição de saúde subjacente.

E, ambos os médicos disseram, mulheres com períodos intensos têm opções além dos discos. A “supressão” menstrual com medicação, incluindo certos contraceptivos orais, pode reduzir ou eliminar os períodos.

PERGUNTA

“Essa é definitivamente uma área cheia de mitos”, disse Tyson. “Mas é uma opção muito segura para pessoas que não desejam ter períodos menstruais.”

FONTES: Bethany Samuelson Bannow, MD, professora assistente, medicina, Oregon Health & Science University, Portland; Nichole Tyson, MD, professora clínica, obstetrícia e ginecologia, Stanford University School of Medicine, Stanford, Califórnia; BMJ Sexual & Reproductive Health, 7 de agosto de 2023, online