Prepare-se para a diálise O que você precisa saber

A diálise pode ser necessária para indivíduos com doença renal policística autossômica dominante (ADPKD). Veja o que esperar.

Minha Máquina de Diálise é Meu Substituto Renal Temporário

Você já se perguntou como é se preparar para a diálise? Bem, deixe-me apresentar você a Claudia Morhibi. Ela vive com a doença renal policística autossômica dominante (PKDAD) há mais de 30 anos e agora está na fase IV da doença renal. Seu médico recentemente começou a discutir a possibilidade de diálise com ela. 🏥

“Minha mãe passou por diálise por 5 anos enquanto esperava por um transplante de rim”, diz Morhibi. “Não foi uma experiência boa – deixou ela se sentindo nauseada e fatigada. Mas às vezes, não temos escolha.” A diálise é frequentemente uma opção temporária até que um transplante de rim esteja disponível. No entanto, a lista de espera para um transplante pode ser de cerca de 5 anos. 😱

Então, como você se prepara para a diálise? A maioria dos especialistas em rins recomenda iniciar a diálise quando 85%-90% da função renal for perdida e/ou sua taxa de filtração glomerular (GFR) cair abaixo de 15. O Dr. Jaime Uribarri, diretor do programa de diálise domiciliar do Mount Sinai Hospital, aconselha conversar com seu médico sobre a colocação de uma fístula quando a GFR atingir cerca de 20.

Agora, você pode estar se perguntando, o que é uma fístula? Bem, pense nela como uma porta secreta para a diálise. É uma cirurgia em que uma artéria é conectada a uma veia próxima sob sua pele, criando um vaso sanguíneo maior. Isso permite o acesso à máquina de diálise. O momento ideal para realizar a cirurgia é de 2 a 3 meses antes de começar a diálise, permitindo que a fístula cicatrize e se torne resistente o suficiente para os tratamentos regulares. Se não for possível fazer uma fístula, uma veia artificial pode ser criada cirurgicamente. Em casos urgentes, um cateter pode ser temporariamente inserido, mas é melhor evitar esse método se possível. Acredite em mim, trocar um cateter várias vezes em apenas alguns meses não é nada fácil. 🚶‍♀️

O Que Você Deve Esperar Durante a Diálise?

A maioria das pessoas que fazem diálise acaba fazendo hemodiálise no centro. Isso envolve uma máquina que retira o sangue do seu corpo, o filtra através de um rim artificial e devolve o sangue limpo para você. O processo geralmente leva de 3 a 5 horas e é repetido três vezes por semana. Durante e após a hemodiálise, você pode apresentar efeitos colaterais como pressão baixa, náusea, tontura, dor de cabeça, coceira na pele, cãibras musculares e até mesmo síndrome das pernas inquietas. É uma aventura e tanto, para dizer o mínimo.

“Mas ei”, você pode pensar, “eu tenho um emprego para me preocupar!” Bem, você não está sozinho. Muitos pacientes em diálise precisam ajustar seus horários de trabalho. Basta perguntar a Dawn Cleeton-Lewis, uma investigadora de fraudes de 37 anos em Fort Worth, TX. Ela tem sua rotina de diálise bem planejada, com 3 dias por semana no centro das 6h às 10h da manhã, seguidos de um dia de trabalho das 10h30 às 19h. Em alguns dias, como no início, quando ela ainda estava se acostumando com a diálise, até tirava uma soneca à tarde. 💤

Agora, aqui está uma alternativa intrigante: a hemodiálise domiciliar. É uma forma de diálise em que você pode encaixar os tratamentos em sua rotina diária com mais facilidade. Pesquisas mostram que a hemodiálise domiciliar pode exigir menos medicamentos para controlar complicações como pressão alta ou anemia, ter menos efeitos colaterais e proporcionar uma melhor qualidade de vida geral. Existem três tipos principais a serem considerados:

  • Hemodiálise domiciliar convencional: Isso envolve fazer diálise três vezes por semana, de 3 a 4 horas por vez.
  • Hemodiálise domiciliar diária curta: Realizando essa versão cinco a sete vezes por semana, por cerca de 2 horas por sessão. A frequência aumentada significa que menos líquido precisa ser removido, resultando em menos efeitos colaterais.
  • Hemodiálise domiciliar noturna: Com esse tratamento, você faz diálise enquanto dorme por 6 a 8 horas na maioria das noites da semana. Isso permite uma maior remoção de resíduos.

Mas lembre-se, podem surgir complicações. Fístulas AV ou enxertos infectados e obstruções causadas por tecido cicatricial são exemplos disso. Mas não se preocupe. Se algo der errado, um alarme irá alertá-lo ou à equipe médica. É como ter seu próprio ajudante super-herói da diálise. 🦸‍♀️

Alterações no estilo de vida a fazer

Além do compromisso de tempo, tanto a hemodiálise em centros como em casa requerem certos ajustes no estilo de vida. Aqui estão algumas mudanças que você precisará fazer:

  • Limitar a ingestão de sal: Reduzir o sal pode ajudar a controlar a pressão arterial e prevenir a retenção de líquidos entre as sessões de diálise.
  • Aumentar a ingestão de proteínas: Pacientes em diálise precisam consumir aproximadamente 8-10 onças de alimentos ricos em proteínas, como carne, peixe, aves ou ovos, todos os dias. Embora nozes, sementes e legumes também contenham proteínas, eles devem ser limitados devido ao seu alto teor de potássio e fósforo.
  • Avoid whole-grain foods: Alimentos como pão integral, cereais com farelo e arroz integral são ricos em fósforo, que é prejudicial em grandes quantidades para indivíduos com doença renal.
  • Seja cauteloso com laticínios: Produtos lácteos como leite, iogurte e queijo também são ricos em fósforo. Limite o consumo ou tome um ligante de fosfato com essas refeições.
  • Enfoque em certas frutas e legumes: Se você tem uma doença renal avançada, é importante limitar a ingestão de potássio. Opte por frutas e vegetais como maçãs, berries, cerejas, uvas, vegetais crucíferos, cenouras e feijão verde.

Claudia Morhibi, embora não precise de diálise por pelo menos mais um ano, já está se planejando para o futuro. Tendo testemunhado a experiência de sua mãe, ela sabe o que esperar. “Embora tenha sido difícil para o corpo dela, quero manter uma atitude positiva e encarar isso como apenas mais uma etapa da minha vida, até eu poder fazer um transplante de rim,” ela diz. Assim que se mantém otimista, Claudia! 💪

P&R

P: Por quanto tempo a maioria das pessoas precisa esperar por um transplante de rim? R: O tempo médio de espera por um transplante de rim é em torno de 5 anos. No entanto, isso pode variar dependendo das circunstâncias específicas de cada indivíduo.

P: A diálise é a única opção para o tratamento da insuficiência renal? R: A diálise é uma opção para gerenciar a insuficiência renal, mas não é a única opção. A outra opção é o transplante de rim, que pode oferecer uma solução mais duradoura. No entanto, a disponibilidade de rins para transplante pode ser limitada.

P: Existem outros tratamentos alternativos à hemodiálise? R: Sim, outra forma de diálise é chamada diálise peritoneal, que consiste em usar a membrana do seu abdômen como um filtro. Esse método pode ser feito em casa e oferece maior flexibilidade para os pacientes.

P: Como posso lidar com o impacto emocional de iniciar a diálise? R: Iniciar a diálise pode ser um desafio emocional. É importante buscar apoio de amigos, familiares ou grupos de apoio. Além disso, falar com um profissional de saúde mental pode ajudá-lo a lidar com os aspectos emocionais da diálise.

P: Existem suplementos dietéticos ou vitaminas que podem ajudar na saúde dos rins durante a diálise? R: É essencial consultar sua equipe de saúde antes de tomar qualquer suplemento dietético ou vitamina. Eles podem orientá-lo sobre o que é seguro e apropriado para a sua situação específica.

P: Posso viajar durante a diálise? R: Sim, é possível viajar durante a diálise. No entanto, isso requer planejamento e coordenação com sua equipe de saúde. Você precisará encontrar um centro de diálise no destino e fazer os arranjos com antecedência.

P: Existem grupos de apoio ou comunidades online para pacientes em diálise? R: Com certeza! Grupos de apoio e comunidades online podem fornecer um valioso suporte emocional e um senso de pertencimento. A Fundação Nacional do Rim é um excelente recurso para começar, pois eles oferecem diversos programas de apoio e recursos.

Conclusão

Preparar-se para a diálise pode parecer desafiador, mas com as informações e apoio adequados, você pode tornar o processo mais tranquilo. Desde entender quando começar a diálise, até saber o que esperar durante o tratamento, até fazer as mudanças necessárias no estilo de vida, agora você tem uma melhor compreensão do que está por vir. Lembre-se, você não está sozinho nesta jornada. Mantenha-se positivo, informado e compartilhe sua experiência com os outros. Juntos, podemos enfrentar a diálise com resiliência e um sorriso no rosto! 😊

Lista de Referências: – Fundação Nacional do Rim. “Pontos Principais: Vivendo com Doença Renal Estágio 4” – Fundação Nacional do Rim. “Lidando com Sintomas Durante a Diálise” – Fundação Nacional do Rim. “Hemodiálise Domiciliar” – Fundação Nacional do Rim. “Diretrizes Dietéticas para Adultos Iniciando Hemodiálise”


👩‍⚕️ E aí! Achou este artigo útil? Compartilhe seus pensamentos, histórias pessoais ou perguntas nos comentários abaixo! E não se esqueça de clicar no botão de compartilhamento para disseminar o conhecimento nas redes sociais. Vamos aumentar a conscientização e nos apoiar nesta jornada. 👍