Gripe das aves descoberta em mamíferos marinhos aumenta o risco para humanos.

Novo estudo alerta que a gripe aviária sofreu mutação para uma maior transmissão entre aves e mamíferos marinhos, aumentando o risco para os seres humanos

“`html

🦠🌊 A Ascensão de um Novo Monstro: Gripe Aviária se Espalha entre Mamíferos Marinhos

Notícia com Imagem: Gripe Aviária Encontrada em Mamíferos Marinhos, Aumentando o Risco para Humanos

A gripe aviária deu uma reviravolta assustadora! De acordo com um estudo recente, o vírus da influenza aviária H5N1 sofreu mutações para se espalhar mais facilmente entre pássaros e mamíferos marinhos, representando um aumento no risco para a saúde humana. 🐦🦈🤒

Na Argentina, pesquisadores descobriram que quatro leões-marinhos, uma foca e uma gaivota estavam todos infectados com o vírus da gripe aviária. 🌊 A análise genética revelou que o vírus encontrado nesses animais era quase idêntico a uma cepa detectada anteriormente em um caso humano no Chile, bem como em leões-marinhos no Peru e no Chile. Esse surto multiespécies indica que o vírus ainda pode infectar pássaros, apesar de sua capacidade de se adaptar a mamíferos marinhos.

“Isso confirma que, embora o vírus possa ter se adaptado a mamíferos marinhos, ele ainda tem a capacidade de infectar pássaros,” explicou Agustina Rimondi, uma virologista do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária da Argentina. Mas não entre em pânico ainda! Embora a variante atual do H5N1, conhecida como clado 2.3.4.4b, seja considerada um “novo monstro,” a pesquisadora sênior Marcela Uhart nos assegura que ela continua sendo relativamente de baixo risco para os humanos. Ufa! 😅

No entanto, Uhart enfatiza a importância da vigilância contínua para fornecer alertas precoces. Enquanto o vírus continuar se replicando em mamíferos, ele poderia potencialmente se tornar mais preocupante para os humanos. Portanto, é crucial manter um olhar vigilante sobre essa situação em evolução. 👀

A nova variante do H5N1 surgiu em 2020 durante a pandemia, começando com mortes de aves marinhas na Europa e depois se espalhando para a África do Sul. Até 2022, ele chegou aos Estados Unidos, Canadá, Peru e Chile. E em fevereiro de 2023, ele entrou na Argentina. A partir daí, ele se moveu rapidamente para o norte, infectando e eventualmente matando mamíferos marinhos e aves marinhas. 😢

Onde quer que ele vá, esse vírus deixa um rastro de devastação. Um estudo recente relatou um grande surto na Argentina que dizimou 70% dos filhotes de elefante-marinho durante a temporada de reprodução de 2023. Nas regiões pesquisadas da Argentina, as taxas de mortalidade alcançaram impressionantes 96%! 😭

A gripe aviária H5N1 foi responsável pela morte de pelo menos 600.000 aves selvagens e 50.000 mamíferos, incluindo elefantes-marinhos e leões-marinhos na Argentina, Chile e Peru, bem como milhares de albatrozes nas Ilhas Malvinas. E o preocupante é que ele ainda não terminou! O vírus está se dirigindo para o sul em direção à Antártida, levantando preocupações sobre um possível surto entre pinguins e outras espécies da vida selvagem vulneráveis. 🐧🥶

Devemos monitorar de perto a capacidade desse vírus de infectar novas espécies, pois as consequências podem ser graves. O estudo insta a esforços de vigilância contínua para ficar um passo à frente dessa ameaça em evolução. 😷

P&R

P: Existe risco do vírus da gripe aviária se espalhar para os humanos? R: Embora a variante atual (clado 2.3.4.4b) da gripe aviária H5N1 seja considerada de baixo risco para os humanos, a replicação contínua do vírus em mamíferos suscita algumas preocupações. No entanto, com vigilância adequada e sistemas de alerta precoce em vigor, o risco pode ser mitigado.

P: Como podemos prevenir o espalhamento do vírus da gripe aviária? R: As medidas preventivas envolvem principalmente uma vigilância rigorosa, especialmente em áreas onde o vírus foi detectado. Além disso, praticar uma boa higiene, como lavar as mãos com frequência e evitar contato próximo com animais infectados, pode ajudar a reduzir o risco de transmissão.

P: O vírus da gripe aviária pode infectar outras espécies de animais? R: Embora o vírus afete principalmente pássaros e mamíferos marinhos, é importante monitorar sua capacidade de infectar novas espécies. Esse vírus já demonstrou sua capacidade de se adaptar e infectar várias criaturas, então a vigilância contínua é crucial para prevenir novos surtos.

P: Existem possíveis tratamentos para a gripe aviária em humanos? R: Medicamentos antivirais, como o oseltamivir (Tamiflu), são atualmente a base do tratamento para a gripe aviária em humanos. No entanto, é importante notar que a identificação rápida e o tratamento precoce são essenciais para resultados ótimos. Vacinas também estão sendo desenvolvidas para oferecer uma proteção adicional contra esse vírus.

“`

Q: Como o vírus da gripe aviária impacta os ecossistemas selvagens? A: O vírus da gripe aviária teve um impacto devastador nos ecossistemas selvagens, causando mortes em massa entre várias espécies de aves e mamíferos marinhos. Isso não apenas perturba o delicado equilíbrio dos ecossistemas, mas também ameaça a sobrevivência de espécies vulneráveis. É crucial implementar medidas eficazes para minimizar a propagação deste vírus e proteger a biodiversidade.

Para saber mais sobre H5N1 e prevenção da gripe aviária, você pode visitar o site do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

📚 Referências:Gripe Aviária Encontrada em Mamíferos Marinhos, Aumentando o Risco para HumanosDoença Inflamatória Intestinal: Últimas Tendências de Pesquisa no IntestinoInfecções Bacterianas 101: Tipos, Sintomas e Tratamentos

Esperamos que você tenha achado este artigo informativo e envolvente! Compartilhe seus pensamentos e aumente a conscientização sobre este tema importante. Juntos, podemos nos proteger e proteger nossos amigos selvagens! 🌍❤️